sábado, 5 de abril de 2014

Dirceu sairá mais forte do que entrou …


POR QUE BARBOSA NÃO
É CANDIDATO ?


Se o mensalão não pegou o Lula em 2006, por que elegeria o Barbosa em 2014 ?

Conversa Afiada






Lembra o Estadão, na pág. A4, que se encerrava hoje, sábado, 5 de abril, o prazo para o Presidente do STF, Joaquim Barbosa se filiar a um partido político e se candidatar.

Barbosa já tinha dito – “o meio foi a mensagem” – que não era candidato – agora.

É mais provável – especula o Estadão, um especialista na matéria – que Barbosa deixe o Supremo com o fim do mandato de Presidente, em novembro.

Por que Barbosa não se candidatou ?

Vamos especular, amigo navegante.

Primeiro, porque ele não acredita nessas pesquisas de intenção de voto, que se transformaram em instrumentos de especulação na Bolsa – clique aqui para ler trepidante entrevista de ansioso blogueiro a órgão que se presta a essa manobra.

(E a CVM, nada !)

Na primeira eleição do Lula, o banco Goldman Sachs, sob a batuta de um “economista de banco” brasileiro, criou o “Lulômetro”: quanto subia o Risco-Brasil, cada vez que o Lula subia nas pesquisas.

Agora, assiste-se ao “Dilmômetro”, “Dilmorror” – quanto a Bolsa sobe com a “noticia” de que a Dilma vai cair numa pesquisa que ainda não foi feita !

Sensatamente, Barbosa não acreditou nessas “quimeras”, nessas “provas tênues”.

Não ia jogar a carreira e a reputação numa fria acondicionada na geladeira do Datafalha e do Globope …

Só quem acredita nessas duas são os “analistas de pesquisa”, sub- produto daquela categoria que o Mino Carta chama de “piores que os patrões”.

Há um segundo e mais importante motivo para Barbosa não se candidatar – agora ou nunca.

O mensalão (o do PT, porque o tucano jamais será julgado) não dá voto.

Não deu em 2006, na reeleição de Lula, e dará muito menos agora, com a Dilma a 1.000 km de distância do tema.

Além disso, o mensalão mostrou-se o que a Hildegard Angel definiu com clarividência – leia sua impressionante entrevista a Nirlando Beirão na Carta Capital: não passou de um “Mentirão”.

Como é que o José Dirceu poderia ter domínio de fato sobre uma quadrilha que o Supremo considerou que não existiu ?

A Visanet é tão estatal quanto a Globo.

E o Dirceu, o Genoino, o Delubio e Duda não tiveram direito a “dupla jurisdição”, prerrogativa constitucional que protegerá o esquartejador de Higienópolis.

O fracasso do julgamento do Mentirão como arma eleitoral pode ser uma das explicações para a vingança de Iago contra Dirceu: por que mante-lo sem trabalhar ?

(Mal sabe o Barbosa que, ao sair de cadeia, em novembro, Dirceu sairá mais forte do que entrou … E ele, talvez, vá para a casa, em silêncio.)

(Clique aqui para ler “Governador chama Barbosa às falas” )

Barbosa não se candidatou, porque o julgamento do mensalão (o do PT) não o elegeria a nada.

E quem gostaria de te-lo no partido, no palanque ?

Esse exemplo de moderação e temperança, de conciliação e gentileza ?

Barbosa fez um grande favor ao Ataulfo Merval de Paiva (*), que morria de medo de o Barbosa entrar formalmente para a política e tirar o véu de suas decisões no julgamento do Dirceu.

Era expor o interesse eleitoral das decisões e da relatoria.

Mas, Barbosa deixou tudo claro.

Barbosa realizou um serviço inestimável à Big House e seu puxadinho, o PSDB: interrompeu – provisoriamente – a carreira de três presidentes do PT (Gushiken, falecido, Dirceu e Genoino) e de um Presidente da Câmara, João Paulo – quadros inestimáveis do partido que assusta tanto o Gilmar Dantas (**), que chega a insinuar que o PCC possa lavar dinheiro no PT.

E Barbosa prestou outro serviço valioso: manteve no mesmo lugar, durante oito anos, a faca que o Antonio Fernando encostou no pescoço do Lula, ao chamar a “quadrilha” de “Ali Babá e seus 40 ladrões”: ou seja, se o Lula não se comportasse, punham ele, o “safo, que safo ?”, na roda.

Não é porque não quis que Barbosa não foi candidato.

É porque o povo não quis.

Não deu bola para o mensalão.

Nem para o Merval.

Para o Merval nem para ele.

Paulo Henrique Amorim


Clique aqui para ler “Barbosa, o Dirceu vai morrer na cadeia?”

Aqui para “Ditadura togada pune Dirceu”

Aqui para “Wanderley: eles vão ganhar no grito, de novo ?”

Aqui para “A Bolsa e um STF normal”

E aqui para “Dirceu vai ao STF. Pelo direito de trabalhar”


(*) Ataulfo de Paiva foi o mais medíocre – até certa altura – dos membros da Academia. A tal ponto que seu sucessor, o romancista José Lins do Rego quebrou a tradição e espinafrou o antecessor, no discurso de posse . Daí, Merval merecer aqui o epíteto honroso de “Ataulfo Merval de Paiva”, por seus notórios méritos jornalísticos, estilísticos, e acadêmicos, em suma. Registre-se, em sua homenagem, que os filhos de Roberto Marinho perceberam isso e não o fizeram diretor de redação nem do Globo nem da TV Globo. Ofereceram-lhe à Academia.E ao Mino Carta, já que Merval é, provavelmente, o personagem principal de seu romance “O Brasil”.

(**) Clique aqui para ver como notável colonista da Globo Overseas Investment BV se referiu a Ele. E aqui para vercomo outra notável colonista da GloboNews e da CBN se referia a Ele. O Ataulfo Merval de Paiva (*) preferiu inovar. Cansado do antigo apelido, o imortal colonista decidiu chamá-lo de Gilmar Mentes. Esse Ataulfo é um jenio. OLuiz Fucks que o diga.
Postar um comentário