domingo, 27 de abril de 2014

ocê credita em coincidência? eitaeitão


O torturador Malhães e as coincidências da morte

27 de abril de 2014


A vida é mesmo cheia de coincidências. No passado recente, muitos inimigos da ditadura militar brasileira morreram providencialmente do coração. Até o presidente João Goulart foi vítima de um infarto do miocárdio.

A moda ainda não acabou. O coronel torturador Paulo Malhães deu com a língua dentes, revelou os mais sórdidos segredos da tortura do regime militar e, um mês depois, coincidentemente, apareceu de bico calado para sempre.

Causa da morte: infarto.

Um providencial grupo de assaltantes invadiu o sítio do carrasco, deu-lhe um calor e ele apagou. A mulher da vítima conta que os assaltantes recebiam ordem por telefone para matá-lo, como se fosse uma encomenda ou uma missão.

Pura coincidência.

Malhães sabia demais e andava abrindo o coração. Um homem assim é uma bomba-relógio. Pode explodir a qualquer momento. Quem sabe demais, por ter servido ao pior, fica melhor de boca fechada para a eternidade. Mas é claro que falar em queima de arquivo é apenas uma hipótese. Já se fala também que seria vingança da família de algum torturado por ele.

Só há uma verdade nisso tudo: o homem que sabia demais nunca mais fará depoimento em comissões da verdade.

Acabou-se.

Quantos não estarão aliviados?
Postar um comentário