domingo, 30 de agosto de 2015

“não há homens imprescindíveis, há causas imprescindíveis”


Lula a Mujica: Você só consegue matar um pássaro se ele ficar parado. Se voar, fica difícil. Eu voltei a voar outra vez




publicado em 29 de agosto de 2015 às 19:24





Fotos: Ricardo Stuckert/Instituto Lula



Lula: Eu voltei a voar outra vez

29/08/2015 13:15

do Instituto Lula

Na manhã desse sábado (29), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e José Mujica, ex-presidente do Uruguai e senador pelo país, participaram de uma mesa no Seminário Internacional Participação Cidadã, Gestão Democrática e as Cidades no Século 21, realizado pela Prefeitura de São Bernardo, em São Paulo.

Primeiro falou José Mujica, que defendeu a importância dos partidos políticos para a manutenção das conquistas sociais dos cidadãos. “A democracia requer partidos. Não há democracia sem partidos. Eles são a vontade coletiva de grupos humanos. Os grandes meios nunca vão estar do lado do povo. São empresas, que atendem a outra forma de entender o mundo. Para o ex-presidente uruguaio, “não há homens imprescindíveis, há causas imprescindíveis”. Ao fim de sua fala, José Mujica foi aplaudido em pé pelo público presente no auditório do Centro de Formação dos Profissionais de Educação (Cenforp).

Em sua fala, Lula relembrou as experiências de participação popular criadas pelo PT ao longo de seus 35 anos, dentre elas, o orçamento participativo, implementado em Diadema em 1982: “Pela primeira vez o povo humilde era chamado a discutir cada prioridade do seu bairro. e votavam, participavam e cobravam”. Afirmou que a própria criação do partido nasceu da necessidade de ter um trabalhador na poítica. “Não era possível eu todo ano fazer greve e, ao chegar na eleição, eleger meu patrão pra vereador, deputado, prefeito”, disse.

Seu mandato, disse Lula, foi marcado por aproximar o governo dos movimentos sociais. “Se perguntarem qual foi o maior legado que deixei, foi a relação que o governo estabeleceu com a sociedade e com os movimentos sociais. Se juntar todos os presidentes do país, antes de mim, eles não fizeram 10% das reuniões que fizemos. Foram 74 conferências nacionais, que começavam no municípios.” Durante seus oito anos no Palácio do Planalto, disse Lula, “as políticas não eram do governo, eram do povo”.

O ex-presidente comentou também a situação política atual, especialmente a grande polarização na qual se encontra o Brasil. “De onde vem esse ódio? Será que uma parte desse ódio demonstrado contra o PT é porque as empregadas domésticas conquistaram mais direitos? Nós fomos para a rua para conqusitar melhoras para as pessoas. Acho que essas pessoas estão querendo desfazer essas melhoras.” Disse também que pretende viajar e voltar a dar entrevistas para “ver se dão um pouco de sossego para a companheira Dilma e se incomodam comigo de novo. As pessoas nao me deixam em paz. todo santo dia falam no meu nome.” Falando com José Mujica, disse: “Você só consegue matar um pássaro se ele ficar parado no galho. Se ele voar, fica difícil”. “Eu voltei a voar outra vez”, afirmou, finalizando o discurso.


Leia também:

Lula processa Época por reportagem criminosa
Postar um comentário