domingo, 7 de junho de 2015

O funcionário público da polícia civil gaúcha cumprindo seu dever

Descruzamos os braços 2

Agressor de frentista haitiano já esteve preso por roubo






Posted by eduguim 
on 06/06/15







Leonel Guterres Radde é escrivão do 20º Distrito Policial de Porto Alegre. Na última sexta-feira, deparou com vídeo que se espalhou pela internet a partir de reportagem do portal G1, publicada na última quarta-feira (3/6), que informou o nome de “Daniel Barbosa” como sendo autor e protagonista de vídeo em que um imigrante haitiano, que trabalha como frentista em um posto Shell da cidade gaúcha de Canoas, é humilhado pelo autor do vídeo.






O escrivão gaúcho identificou rapidamente um crime sendo cometido e, agindo de acordo com seu dever funcional, lavrou um Boletim de Ocorrência por crime de discriminação e difusão de preconceito. A partir dali, espalhou-se pela internet que o tal “Daniel Barbosa” teria sido denunciado por vários crimes e que seria um dos administradores do grupo fascista Revoltados On Line, que vem promovendo manifestações contra o governo Dilma Rousseff.

Diante do imenso simbolismo que a situação criminal do agressor do frentista haitiano encerra, o Blog da Cidadania buscou mais informações e acabou localizando Leonel Raddes, que concedeu entrevista por telefone. Confira, abaixo, as novas informações sobre o caso que o escrivão gaúcho forneceu.

*

Blog da Cidadania – Leonel Guterres Radde, você é escrivão do 20º Distrito Polícial de Porto Alegre e tomou conhecimento do caso envolvendo o frentista haitiano que foi agredido verbalmente por um indivíduo chamado “Daniel Barbosa” e, por dever de ofício, fez uma denúncia, correto?

Leonel Radde – Na verdade, eu fiz um Boletim de Ocorrência do fato.

Blog da Cidadania – E, ao fazer esse Boletim de Ocorrência, você apurou que essa pessoa já teria passagens pela polícia?

Leonel Radde – Sim, porque, na verdade, quando a gente faz esse tipo de registro e começa o processo de instauração de inquérito policial, é preciso fazer um levantamento do histórico policial dos indivíduos acusados.

Blog da Cidadania – E quais são as passagens desse indivíduo pela polícia?

Leonel Radde – O que a gente apurou é que ele tem passagens por porte ilegal de arma de fogo, desacato, maus-tratos contra idoso, roubo a estabelecimento comercial, sequestro e cárcere privado, lesão corporal e ameaça.

Blog da Cidadania – Nossa, mas é muita coisa! Você pode dar mais informações sobre as complicações desse indivíduo com a lei?

Leonel Radde – Infelizmente não posso dar detalhes porque os nomes das vítimas do indivíduo são informações sigilosas. O que posso lhe dizer é que ele já cumpriu pena em presídio por roubo a estabelecimento comercial, ou seja, não é réu primário.

Blog da Cidadania – E essas denúncias contra ele tiveram inquérito instaurado?

Leonel Radde – Sim, sim… Mas não posso dar detalhes. Isso será revelado pelo inquérito policial que está sendo instaurado.

Blog da Cidadania – E ele ainda está respondendo por alguma dessas acusações?

Leonel Radde – Ele já respondeu por quase todas. No momento, está respondendo apenas a uma acusação, por injúria.

Blog da Cidadania – E você sabe dizer qual é a profissão dele?

Leonel Radde – A princípio, o que se sabe é que ele não tem uma atividade remunerada fixa. O que se sabe é que ele se diz “gerente de vendas”.

Blog da Cidadania – E quais serão os próximos passos a partir desse B. O. que você fez contra ele?

Leonel Radde – Agora o caso está na fase de instrução do inquérito. Será averiguado o local do fato, a data precisa em que ocorreu, iremos ouvir a vítima dele, o frentista haitiano. Já temos os nomes dos dois autores do crime, do rapaz que gravou o vídeo e do próprio Daniel.

Blog da Cidadania – Mas como vocês obtiveram todas essas informações?

Leonel Radde – Foi a partir do vídeo, pois no fim da gravação aparece a placa do veículo que Daniel e o dono do veículo usavam.








Blog da Cidadania – E quais são os nomes dos dois indivíduos. O nome do agressor é só Barbosa mesmo?

Leonel Radde – Daniel Barbosa Amorim é o agressor e o motorista do veículo – que, como vimos pela Carteira Nacional de Habilitação dele, é bem jovem – se chama Alex de Jesus da Silva.

Blog da Cidadania – E, a partir daqui, quais serão os novos passos do processo?

Leonel Radde – Na segunda-feira faremos mais algumas diligências e, em seguida, passaremos o caso para a delegacia competente, de Canoas.

Blog da Cidadania – O prosseguimento do inquérito ficará para decisão da delegacia de Canoas ou haverá, obrigatoriamente, que dar seguimento à investigação?

Leonel Radde – Depois que se inicia o procedimento, não tem mais como arquivar. Serão feitas as diligências e tudo será enviado ao Ministério Público, que decidirá se será apresentada a denúncia ao Judiciário ou não.

Blog da Cidadania – E a acusação contra ele, basicamente, qual será?

Leonel Radde – Será com base na lei 7716, que define os crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor. Nesse caso, será por preconceito de origem nacional, pois ele cita, além dos haitianos, venezuelanos e angolanos.

Blog da Cidadania – Estão dizendo que esse indivíduo, o Daniel, é “administrador” do grupo Revoltados On Line, não é? Você verificou isso?

Leonel Radde – É fácil verificar. Basta fazer uma busca no Google. Ele faz várias publicações – não comentários, mas publicações mesmo – no perfil desse grupo no Facebook e para fazê-lo é preciso ser administrador.







Blog da Cidadania – Esse Daniel usa roupas e símbolos militares. Isso não é ilegal?

Leonel Radde – É uma discussão, mas, na verdade, ele usa como vestimenta civil porque não é fardamento completo. Se ele usasse roupa completa de militar aí, sim, seria ilegal.

Blog da Cidadania – Ok, mas haveremos de convir que a forma como ele se veste deve ter intimidado o frentista haitiano, não?

Leonel Radde – Sem dúvida. Existe a possibilidade de usurpação de função pública se ele se fizer passar por policial ou militar para intimidar, mesmo não usando o uniforme completo.

Blog da Cidadania – Qual é a pena a que esse indivíduo pode ser condenado, Leonel?

Leonel Radde – Em princípio, de 2 a 5 anos de prisão. Talvez em regime semiaberto.

Blog da Cidadania – Infelizmente, no fim o que acontecerá é que ele terá que pagar umas cestas básicas e pronto, não?

Leonel Radde – Não é bem assim, pois ele não é primário.
Postar um comentário